BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE SUCESSÃO EMPRESARIAL.

O planejamento da sucessão empresarial faz diferença na solidificação e estabilidade dos negócios. Ou seja, as atividades empresariais são enérgicas e calham por mudanças constantes, de modo que muitas empresas necessitam se transformar para continuarem ativas.


Essa transformação é tão intensa que advém uma adequada sucessão empresarial, fundamental para se conservar no mercado.


Mas o que é sucessão empresarial? Como funciona? Que tipos de sucessão existem? E quando é o momento adequado para este planejamento sucessório?


Primeiramente é importante registrar que a sucessão empresarial é um processo de mudança na organização da empresa, onde há a troca de líderes ou diretores.


Isto é, não se trata apenas de uma singela mutação gerencial, pois o atual controle e poder administrativo são transmitidos para uma empresa sucessora, onde, essa empresa, ou melhor, os seus diretores, tomam as funções que eram exercidas pelos anteriores, como por exemplo cuidar dos contratos pendentes, passivos trabalhistas, e créditos tributários, dentre outros.


Não se prendendo em qual é o pretexto para que ocorra esta sucessão empresarial, é muito importante ressaltar que deve ser elaborado um planejamento minucioso e apropriado a realidade da empresa.


Com a preparação do plano de sucessão, dá-se início ao processo de transição, ou seja, é uma fase gradativa de preparação para que tudo se adeque às novas diretrizes.


Esse planejamento é indispensável, sobretudo para impedir desordens societárias.


Esta transição é orientada por um consultor, profissional especializado, que procede com a análise da situação e coleta os principais dados da empresa, para que possa oferecer a melhor solução.


Após, dá-se início as medidas de curto e médio prazo, como por exemplo reorganização fiscal e operacional, renegociação de dívidas e planejamento estratégico.


A sucessão empresarial pode se dar de diversas formas, como por exemplo a sucessão familiar (transferência da titularidade da empresa para os seus sucessores naturais ou para outro familiar, ou em caso de falecimento); sucessão trabalhista; e aquisição de fundo de comércio (quando se adquire um ponto comercial, as atividades, os bens e as dívidas do antecessor).


Mas quando saber a hora de planejar e promover essa sucessão?


A sucessão pode ocorrer por diversos fatores, como por exemplo a fusão, cisão ou incorporação, falência ou recuperação judicial, mudança no quadro societário, dentre outros. E a melhor forma de realizar esse processo é, primordialmente, aferir com máxima cautela os colaboradores e quem serão os sucessores.


Ainda, é importante destacar que deve ser esquematizado o planejamento de estratégias em equipe e operações para esta transição.


Por fim, a sucessão empresarial pode se revelar imprescindível e adequada para recarregar a energia e capital na empresa no intuito de gerar e voltar a ter competitividade no mercado.


O Escritório Gantzel Advocacia está à disposição para esclarecimentos e dúvidas. Somos especialistas em Direito Empresarial e podemos lhe ajudar.


Grande abraço.